Ex-presidente entrega material para o projeto ‘APMP 80 anos’

5 de abril de 2018

João Lopes Guimarães, que presidiu a Associação no biênio 1975-1976, foi recebido na Sede Executiva pelo atual presidente, José Oswaldo Molineiro, e pelo 1º tesoureiro, Renato Kim Barbosa

O procurador de Justiça aposentado João Lopes Guimarães, o mais antigo ex-presidente vivo da Associação Paulista do Ministério Público (APMP), esteve na Sede Executiva, em São Paulo, na quarta-feira (04/04), para entregar à diretoria material de seu acervo particular como contribuição ao projeto “APMP 80 anos”. Ele foi recebido pelo atual presidente da entidade de classe, José Oswaldo Molineiro, e pelo 1º tesoureiro, Renato Kim Barbosa.

João Lopes Guimarães presidiu a APMP no biênio 1975-1976, mas sua atividade associativa teve início uma década antes, como 2º vice-presidente, no biênio 1965-1966 (ocuparia o mesmo cargo no biênio 1973-1974). “Fui o primeiro promotor do interior a participar da Associação”, registrou o procurador de Justiça aposentado, em depoimento ao Memorial do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP).

Naquela época, início dos anos 1960, João Lopes Guimarães atuava como promotor de Justiça de Fernandópolis. “Acabei me ligando ao João Severino de Oliveira Pérez [2º secretário da APMP no biênio 1963-1964], que depois foi procurador-geral [entre 1979 e 1983]. O Pérez era político, e eu, por meio dele, comecei a participar de reuniões, porque quase todo fim de semana eu vinha a São Paulo. (…) Então, sugeriu meu nome para ser o 2º vice-presidente da Associação, representante do interior”, prossegue, no depoimento ao Memorial do MPSP.

No biênio 1975-1976, quando Lopes Guimarães foi presidente da APMP, teve como 1º vice-presidente Guido Henrique Meinberg; como 2º vice-presidente, Júlio César Ribas; como 1º secretário, Gil de Almeida; como 2º secretário, Renan Severo Teixeira da Cunha; como 1º tesoureiro, Roberto Sérgio Falcão; como 2º tesoureiro, Atalides Cândido de Oliveira; e, como diretores eleitos, Marino Pazzaglini Filho (Relações Públicas) e Luzia Galvão (Patrimônio).

No MPSP, instituição à qual ingressou em 1958, João Lopes Guimarães atuou em Santos, Santo André, Mogi das Cruzes, Cananéia, Fernandópolis, Americana e na capital. Foi um dos fundadores da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), entidade da qual foi vice-presidente. No Poder Executivo, foi secretário do Município e do Estado de São Paulo. É professor aposentado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e advogado.

PROJETO ‘APMP 80 ANOS’ – A APMP, maior associação do Ministério Público do país, com cerca de 3.000 associados, é também a mais antiga, tendo sido fundada em 26 de novembro de 1938. Por isso, ao comemorar oito décadas de história e luta, lançou o projeto “APMP 80 anos”, que consiste em várias divulgações jornalísticas para destacar o trabalho da Instituição e o valor do promotor de Justiça. Além de entrevistas em vídeo, estão sendo produzidos boletins impressos bimestrais com recuperação da história da entidade de classe.