Arnaldo Hossepian recebe Medalha Oswaldo Cruz

Homenagem foi concedida em razão de serviços prestados na área da saúde

28 de fevereiro de 2018
Categoria: Geral

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), na terça-feira, dia 27/02, Arnaldo Hossepian Salles Lima Júnior, representante do Ministério Público no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), recebeu a Medalha de Mérito Oswaldo Cruz, na Categoria Ouro. Supervisor do Fórum Nacional da Saúde do Poder Judiciário, o procurador de Justiça de São Paulo foi homenageado em virtude do reconhecimento por parte da Presidência da República “aos relevantes serviços prestados à saúde pública brasileira”.

Recentemente, Arnaldo Hossepian ministrou palestra na University Columbia, em Nova York, durante o seminário “Law and Economics: Judicialization of Health”, que discutiu temas envolvendo a judicialização da saúde. Ainda para falar sobre esta área, o procurador de Justiça participou do 5º Congresso Brasileiro Médico e Jurídico, realizado em Vitória. Na ocasião, o membro do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) abordou projeto do CNJ desenvolvido nessa área.

Ao receber a medalha, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, Hossepian destacou a importância do e-NatJus. “Recebo essa homenagem com alegria, em nome de todo o Comitê Nacional do Fórum da Saúde, pois sem o esforço de todos nós não teríamos chegado até aqui”, afirmou. Além do conselheiro, outras 32 personalidades receberam a honraria. Participaram da cerimônia o presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Arnaldo Hossepian é associado da Associação Paulista do Ministério Público (APMP) e inclusive já integrou sua diretoria, no biênio 1993/1994, como diretor adjunto de Jurisprudência Criminal. Em outubro de 2017, sua posse solene para recondução ao CNJ, em Brasília, contou com a presença do presidente da entidade de classe paulista, José Oswaldo Molineiro, e do 1º secretário, Paulo Penteado Teixeira Junior.

(Com informações do site do CNJ – Foto: Agência CNJ)