Homenagem ao colega Noel Oliveira Júnior

5 de outubro de 2018

Querido amigo Noel, Há cinco anos tivemos o prazer de dividir com você a alegria do ingresso na tão sonhada carreira do Ministério Público. Desde o início de nossa convivência, ainda no curso de formação, pudemos constatar que em você teríamos um grande exemplo de colega, Promotor de Justiça aguerrido, firme, valoroso, e ao mesmo […]

Querido amigo Noel,

Há cinco anos tivemos o prazer de dividir com você a alegria do ingresso na tão sonhada carreira do Ministério Público. Desde o início de nossa convivência, ainda no curso de formação, pudemos constatar que em você teríamos um grande exemplo de colega, Promotor de Justiça aguerrido, firme, valoroso, e ao mesmo tempo um amigo leal e em quem podíamos confiar para nos auxiliar em qualquer dificuldade, fosse com sua experiência, fosse simplesmente com seu apoio e solidariedade.

Já nos primeiros dias de sua carreira, você impressionou a todos com uma belíssima atuação no Tribunal do Júri, à qual se seguiriam tantos outros episódios de primorosa atuação funcional, que nós aplaudiríamos dos quatro cantos do Estado, orgulhosos por tê-lo como colega do 89º Concurso de Ingresso, a “Família 89”.

O acaso te levou de modo brusco e deixou todos nós inconformados, com os corações apertados e sentindo muito a dor dessa perda.

Nós, colegas do 89, perdemos um amigo querido. Perdemos parte da essência que nos uniu, desde nossa cerimônia de posse. O Ministério Público e a sociedade perderam um grande Promotor de Justiça. Sua família perdeu o filho exemplar, o pai carinhoso, o marido companheiro.

Tentamos encontrar explicação para a sua partida prematura, porque nossa tendência é procurar sentido em tudo o que acontece. O sentido de alguma maneira conforta. Mas, no fundo, todos nós sabemos que não há explicação. O acaso muitas vezes define nossas vidas.

Nosso consolo é sentir que na sua passagem por esse mundo tivemos a grande oportunidade de conhecê-lo, de conviver com você e de tê-lo como amigo. Agora nos resta dia-a-dia transformar esse grande vazio em terna saudade.

Você parte cedo desta vida, mas deixa sua marca registrada nos corações de cada um de nós. Em sua breve passagem pela história do nosso Ministério Público paulista, você deixa seu legado, de seriedade e dedicação a todos aqueles que bateram às portas da Promotoria nas comarcas por onde você passou.

Dessa dolorosa e abrupta partida, levamos ainda o consolo do exemplo que você deixou: de uma vida vivida intensamente, no trabalho, no esporte, dedicando-se à família e cercando-se de bons amigos.

Temos a certeza que você foi e fez o melhor por você, por sua família, por seus amigos, pela sociedade e pelo Ministério Público. Você combateu o bom combate; o que você construiu permanece e é eterno. E a morte nada pode contra isso. Fique em paz, querido amigo.

Saudade eterna da Família 89.