NOTA DE PESAR

A APMP comunica, com profundo pesar, o falecimento do promotor de Justiça aposentado e escritor consagrado Annibal Augusto Gama

Publicado em 27 de julho de 2020

É com profundo pesar que a Diretoria da Associação Paulista do Ministério Público (APMP) comunica o falecimento do promotor de Justiça aposentado e escritor consagrado Annibal Augusto Gama, ocorrido ontem, 26 de julho. Autor de diversos livros, entre romances, contos e poesias, ele estreou na literatura aos 76 anos e antes disso atuou como promotor na cidade de Ribeirão Preto.

Sua obra literária recebeu diversos elogios de figuras renomadas como o professor de literatura e crítico literário Affonso Romano de Sant’Anna, que afirmou que Annibal “era um caso raro na literatura brasileira, porque começou tarde e nasceu pronto”. Já segundo o poeta Mário Chamie, “ele merecia estar entre os maiores nomes da nossa poesia do recém-findo século XX”. Em uma crítica publicada pelo jornal O Globo, no caderno “Prosa & Verso”, Annibal é comparado a grandes nomes da literatura como Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e José Paulo Paes. “Além, bem entendido, do que tem de pessoal e inconfundível, a poesia de Annibal Augusto Gama é um vasto estuário onde vêm confundir-se águas tão diversas, e contudo tão similares, quanto as de José Paulo Paes (com quem revela espontâneas afinidades), Fernando Pessoa e Carlos Drummond de Andrade, sendo essa a galeria da fama em que devemos situá-lo”.

Em 1990 publicou o livro “Rompendo a Barreira”, juntamente com outros colegas do Ministério Público de São Paulo (MPSP). A obra traz um prefácio do procurador de Justiça aposentado, escritor e jornalista, Gilberto de Mello Kujawski. Annibal Gama também foi vencedor do Concurso de poesia da Academia Ribeirãopretana de Letras.

Nascido em Guaxupé, município de Minas Gerais, em dezembro de 1924, Annibal Augusto Gama também se dedicou às artes plásticas, como pintor de cerca de 200 quadros e ilustrador das capas de seus livros. A sua obra literária foi acumulada por toda vida, sendo o primeiro livro publicado só em 2001. Porém, o primeiro livro escrito data da infância, entre os oito e nove anos de idade. Foi casado com Jaçanan Silva Gama, companheira de infância, e teve três filhos.