icon clock Leitura 1 min

Momento evidencia reversão do quadro de impunidade do ‘rouba, mas faz’ – Roberto Livianu

Encaminhado a pedido do Dr. Roberto Livianu

O “rouba, mas faz” é um verdadeiro monumento brasileiro à naturalização da corrupção, pois, a bem da verdade, representa a conformação mental do eleitor diante da roubalheira. Já que o roubo é inevitável, que ao menos se faça algo, que fique um legado para o povo. Aliás Maluf afirma que nem precisa fazer campanha basta anunciar que é candidato e seu número. Está eleito.

Este raciocínio pode levar ao perigoso estado de anestesia social diante da corrupção, de efeitos devastadores para seu combate pelo impacto negativo na mobilização social anticorrupção.

Convido à leitura de minha coluna semanal no Poder360 Maluf chega aos 42
https://www.poder360.com.br/opiniao/justica/momento-evidencia-reversao-do-quadro-de-impunidade-do-rouba-mas-faz/

Outros Artigos

Linguagem jurídica e cidadania

José Benjamim de Lima

O Promotor de Justiça (poesia)

José Benjamim de Lima

O autismo e as leis

Dimas Ramalho, Karina Maia e Mariana Mársico

O juiz de fora

Antonio Carlos Augusto Gama