Portal Estadão publica artigo de Fabiana Dal´Mas sobre Violência Doméstica e Feminicídio

8 de agosto de 2018

O texto da diretora da APMP Mulher ressalta a importância das Leis de Feminicídio e Maria da Penha, esta última que completou 12 anos nesta semana, na prevenção da violência e na contenção do número de mortes por violência contra a mulher

O Portal Estadão publicou, no blog do jornalista Fausto Macedo desta terça-feira (7/8) artigo da promotora de Justiça do Grupo de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) e diretora da APMP Mulher, Fabiana Dal’Mas Rocha Paes. O texto, intitulado “Ano 12 da Lei Maria da Penha: feminicídio é a ponta do iceberg”, traz uma reflexão sobre, segundo sua vasta experiência, os crimes de agressão à mulher, que acontecem e se desenvolvem nos lares brasileiros. Também discute as políticas públicas de enfrentamento à violência de gênero e destaca a importância das Leis de Feminicídio e Maria da Penha, esta última que completou 12 anos nesta semana, na prevenção da violência e na contenção do número de mortes por violência contra a mulher:

“Nestes 12 anos, temos algo a celebrar, pois sabemos que vidas foram salvas em razão da existência da lei Maria da Penha e da Lei do Feminicídio. Ademais, diversos profissionais trabalham com dedicação para combater a violência contra a mulher, nas diversas esferas do poder público. Também dados do IPEA indicam que estes diplomas legais fizeram diminuir em cerca de 10% a taxa de homicídio contra as mulheres dentro das residências. Essa diminuição, embora significativa, não foi suficiente para retirar o Brasil da imoral posição do 5º país que mais mata mulheres no mundo. São 13 mulheres assassinadas por dia, uma a cada duas horas, em grande número constituído pela população economicamente desfavorecida e negra. Com efeito, para a plena efetivação da legislação, o caminho ainda é longo”, diz trecho do texto, que também ressalta a importância do empoderamento e da participação feminina na política brasileira.

Clique aqui para ler a íntegra do artigo